fbpx

Ginecomastia – por que ela acontece?

Ginecomastia

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email

Basta um desentendimento entre a testosterona e o estrogênio e pronto, lá está o tecido mamário masculino se desenvolvendo mais do que deveria. Ginecomastia é o nome dado à hipertrofia das glândulas mamárias que acomete os homens. As fases da vida do homem que pode ocorrer este distúrbio são na puberdade, pois o influxo hormonal se intensifica, e na terceira idade, com a produção baixa de testosterona que dá mais vez ao estrogênio. Mas existem outras causas que levam ao desenvolvimento da ginecomastia, você pode ver a seguir.

As causas da ginecomastia

A ginecomastia nada mais é do que uma desregulação hormonal que pode acontecer de forma natural, mas também pode se desenvolver com o consumo em excesso de álcool e alimentos ricos em gordura ou então ser influenciada por medicamentos e anabolizantes. A ginecomastia pode acontecer de forma unilateral (em uma mama só) e bilateral (ambas as mamas – caso mais comum).

Anabolizante é uma das causas da ginecomastia.
Anabolizante é uma das causas da ginecomastia.

Principais causas:

Ginecomastia Congênita:

  • Síndrome de Klinefelter: causada pela variação de cromossomos, esta doença é genética, onde o homem possui um cromossomo X a mais, por isso é uma doença conhecida como cromossomo 47XXY, o que leva a baixos níveis de testosterona e concentração elevada de estrogênios.
  • Síndrome de Insensibilidade Aos Andrógenos (SIA): também é uma doença ligada aos cromossomos, neste caso indivíduos com cariótipo 46,XY, onde o organismo não responde parcial ou completamente a produção da testosterona, fazendo com que haja a intersexualidade.

Ginecomastia Adquirida:

(as causas abaixo podem induzir o desenvolvimento da ginecomastia, porém não são fatores obrigatórios para tal desenvolvimento)

  • Lesão testicular
  • Distrofia muscular
  • Medicamentos como antidepressivos, anti‑hipertensivos ou com ação cardíaca
  • Radioterapia ou quimioterapia
  • Cremes ou substâncias que contenham estrogênio
  • Esteroides anabolizantes
  • Alimentos gordurosos e excesso de álcool

Sinais de que seu corpo está desenvolvendo a ginecomastia

Graus da Ginecomastia
Graus da Ginecomastia

Além do visível crescimento da mama, alguns outros sinais podem indicar que a ginecomastia está se desenvolvendo.

Se existe sensibilidade nas mamas, coceira (principalmente no mamilo) ou secreção, agende uma consulta com um médico especialista para tratar o caso.

O exame de sangue vai indicar o nível de hormônios no organismo, se eles estão apenas alterados ou se há alguma doença mais grave que deverá ser tratada. Por isso é muito importante ir ao médico o quanto antes quando perceber os sintomas.

Formas de evitar o surgimento da ginecomastia

Quando a ginecomastia ocorre na adolescência, o quadro pode regredir de acordo com o tempo, já que os hormônios tendem a se equilibrar. Mas em outros casos, é necessário o uso de medicamentos e cirurgia para reverter a situação.

Existem algumas formas de evitar que a ginecomastia se desenvolva no organismo, são elas:

  • Não consumir esteroides anabolizantes sem orientação médica
  • Comer alimentos mais saudáveis, pois alimentos ricos em gordura levam ao aumento de peso e do tecido adiposo, que induz o organismo a produzir mais estrogênio
  • Fazer o tratamento correto para as doenças que estão ligadas ao surgimento da ginecomastia

Quais são os tipos de cirurgia para ginecomastia?

Cirugia corrige ginecomastia
Cirugia corrige ginecomastia

O uso de medicamentos para colocar os hormônios em ordem e a cirurgia para ginecomastia devem andar lado a lado para reverter o quadro da doença.

A cirurgia para ginecomastia consiste na retirada das glândulas mamárias e da gordura por meio de um corte em formato meia-lua na aréola.

A mamoplastia também é uma cirurgia para ginecomastia em casos mais avançados, que são aqueles onde é necessário não só remover as glândulas e a gordura, mas também o excesso de pele que se deu por conta do aumento da mama.

Depois da cirurgia, é necessário seguir as recomendações do cirurgião plástico para evitar qualquer problema no pós-operatório.

É necessário usar um colete por dois meses, para que auxilie na eliminação dos edemas que são naturais após uma cirurgia, além disso, ele também ajuda na proteção e cicatrização do local. Por um período de 30 dias é recomendado não levantar peso e evitar dirigir, pois o organismo ainda está em processo de recuperação, e qualquer trauma sofrido poderá levar a complicações pós-cirúrgicas. Os exercícios físicos também ficam para depois, o médico especialista indica voltar para as atividades só depois de 60 dias.

Ainda restou alguma dúvida sobre cirurgia de ginecomastia?

Agende uma consulta com o Dr. Paulo Militão, cirurgião plástico em Cascavel – PR, assim poderá fazer uma avaliação e indicar o melhor procedimento para seu caso.

Telefone (45) 3035-6527

WhatsApp: (45) 9 8408-6553

Messenger: @paulomilitao

Atendemos pelos planos de saúde Unimed e PAM.

O que você achou dessa publicação?

Você também pode gostar

O que você está procurando?

Siga nossas redes sociais