Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

É uma das técnicas cirúrgicas mais procuradas e que permite resultados satisfatórios, mas cujas possibilidades deverão ser detalhadamente analisadas e discutidas previamente entre cirurgião e paciente, já que cada caso tem suas características próprias.

Os cabelos receberão um discreto corte que se localizará apenas nas áreas onde ficarão as cicatrizes. No pós-operatório imediato esse inconveniente poderá ser perfeitamente disfarçado pelo uso de um penteado adequado.

Deverão ser tiradas fotos sob idênticas condições técnicas tanto no pré, como no pós-operatório, pois se constituem na única maneira de avaliação do resultado obtido. O Tempo de internação gira em torno de 24 horas.

É usada tanto a anestesia geral quanto a local ou, ainda, a associada. Cada caso é analisado especificamente, restando a escolha determinada pela conveniência do(a) paciente. O resultado final será o mesmo.

O tempo de cirurgia é variável de paciente para paciente, mas em média demanda em torno de 3 horas para a face/fronte, mais 1 hora para as pálpebras e 5 horas para a face/pescoço, fronte e pálpebras.

São usados curativos com compressas úmidas. O grande curativo (tipo bandagem) é retirado nas primeiras 24 horas de pós-operatório, podendo ainda permanecerem curativos leves sobre as cicatrizes residuais, caso sejam necessários.

Não há necessidade de curativos que ocluem os olhos; o que se recomenda é a aplicação de compressa de algodão embebido em água fria filtrada ou soro fisiológico, várias vezes ao dia, o que dá uma sensação de conforto e diminui o edema das pálpebras, que é plenamente normal no pós-operatório.

A evolução desse tipo de cirurgia estética é geralmente indolor. Todavia, como a sensibilidade varia de pessoa a pessoa, alguns casos poderão apresentar uma discreta sensação dolorosa, o que será perfeitamente sanada com uso de analgésicos comuns.

Diversos elementos caracterizam o período pós-operatório, entre eles: edemas (inchaço), manchas roxas (infiltrado sangüíneo), hipersensibilidade em algumas áreas e insensibilidade em outras. Esses mesmos elementos podem variar de paciente a paciente, para mais ou para menos, mas fazem parte da evolução normal de um quadro de pós-operatório. Portanto, tenha paciência e lembre-se que nenhum resultado de cirurgia estética de face deverá ser avaliado antes de decorridos 3 meses da intervenção. Além disso, alguns pacientes costumam apresentar um curto período de “depressão emocional”, o que é devido à ansiedade de ver o resultado final. Lembre-se que o seu organismo trabalha de forma ordenada e dentro de um tempo certo.

Os pontos das pálpebras são removidos 5 a 7 dias após o ato cirúrgico. Os remanescentes (face, pescoço, couro cabeludo), entre 10 e 15 dias.
Entre o 2º e o 7º dia de pós-operatório seus cabelos já poderão ser lavados e penteados, todavia esses atos devem ser desempenhados com cautela e delicadeza. Para secá-los, faça uso de secador manual com ar discretamente aquecido (nunca quente). Caso use tinturas, essas estarão liberadas apenas após 15 dias de pós-operatório.

Uso de maquiagem ocorre nas pálpebras, 3 dias após a retirada dos pontos. Na face, em torno de 10 dias. Como este prazo pode variar de acordo com a sua recuperação, peça sugestões ao seu cirurgião.

A presença de cicatrizes é um demonstrativo de uma troca efetuada: trocou-se um aspecto flácido, as rugas e os sulcos por um rosto mais jovem. Elas são permanentes, contudo, com o passar do tempo se tornam cada vez menos visíveis. Enquanto isso não ocorre, os recursos cosméticos e o uso de penteados adequados disfarçam a contento o que se quer esconder. Pruridos (coceiras), ardor ou insensibilidade fazem parte de um processo cicatricial normal, sendo, porém passageiros. Lembre-se que cada organismo tem seu processo de cicatrização de maneira individualizada, alguns cicatrizando rapidamente, até quase o desaparecimento, e outros de forma mais demorada, deixando uma marca mais visível. Essa diversidade de reação está ligada à sua genética e sobre esse campo seu médico não tem poderes.

A duração do resultado da cirurgia é variável para cada pessoa. Sabe-se que a cirurgia de face, pescoço e pálpebras rejuvenesce sensivelmente o indivíduo, todavia, não interrompe o processo evolutivo do organismo, apenas o retarda, portanto, não faz milagres. É comum que depois de algum tempo se faça necessário um retoque da pele na pálpebra inferior, que costuma ficar frouxa; ou então, alguns casos de rugas de pescoço e mento – que sejam muito acentuadas – podem vir a demandar uma pequena cirurgia com a finalidade de complementar o resultado obtido na primeira intervenção. Entretanto, conforme informado, a variável é bastante grande de paciente para paciente, podendo o resultado manter-se satisfatório por até 10 anos, ou mais.

Ao contrário do que algumas pessoas pensam, o objetivo da cirurgia, não é deixar as pessoas mais bonitas e sim rejuvenescê-las, o que é diferente. Por tal razão, cada caso é analisado especifica e individualmente por ocasião da 1ª consulta, e se o médico se decide a operar o(a) paciente é porque concluiu que o resultado seria compensador, caso contrário, ele será o primeiro a se recusar a operá-lo(a).