Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on email

Peeling Químico

Os efeitos dos ácidos sobre a pele podem aparecer mais rapidamente quando utilizados em alta concentração para a realização dos peelings químicos. Nestes procedimentos, podem ser utilizados diversos tipos de ácidos de acordo com o resultado que se deseja obter e com a profundidade que se deseja atingir. Os peelings químicos podem ser superficiais, médios e profundos. Os resultados são mais aparentes quanto mais profundos, assim como aumentam também os riscos e o desconforto durante o peeling e no pós-peeling. O peeling profundo só pode ser realizado sob sedação, devido à dor durante o procedimento, enquanto que alguns peelings superficiais são completamente indolores.

Bons resultados podem ser obtidos com vários peelings superficiais seriados, realizados a pequenos intervalos. A descamação subsequente costuma ser fina e não chega a atrapalhar o dia a dia, podendo a pessoa voltar à sua vida normal no dia seguinte. Os peelings superficiais melhoram a textura da pele, clareiam manchas e atenuam rugas finas, além de estimular a renovação do colágeno que dá melhor firmeza à pele.

Já os peelings médios, provocam descamação mais espessa e escura, necessitando de 7 a 15 dias para retorno à vida normal, porém são mais indicados quando a pele já apresenta asperezas como as ceratoses (lesões pré-cancerosas) e rugas mais pronunciadas. Os peelings médios renovam a camada superficial da pele, clareando manchas e alterações de superfície da pele, como rugas, algumas cicatrizes de acne e as ceratoses.

O peeling profundo é bem mais agressivo que os demais, provoca a formação de muitas crostas e o pós-peeling exige o uso de curativos e a recuperação pode durar até um mês. No entanto os resultados são muito bons, com renovação importante da pele e diminuição até mesmo de rugas profundas como as rugas ao redor da boca e dos olhos. Novas técnicas, como a aplicação pontuada do peeling de fenol, visam a diminuir os possíveis efeitos colaterais e o tempo de recuperação após o peeling.

Para se realizar um peeling químico, a pele deve ser preparada previamente com antecedência de 15 a 30 dias e também receber um tratamento pós-peeling. Estes cuidados permitem a obtenção de melhores resultados, além de ajudar a evitar possíveis efeitos indesejáveis dos peelings, como pigmentação pós-peeling ou queimaduras, que podem acontecer mesmo quando todos os cuidados são tomados.A quantidade de sessão ira depender de qual tipo de

Ácido será aplicado na pele da paciente.

Peeling físico

O peeling físico é um procedimento esfoliativo realizado por meio de um lixamento manual (com cremes com ativos esfoliativos) ou de equipamentos dermoabrasores para promover a renovação das camadas da pele. 

A microdermoabrasão é uma técnica de ação mais superficial atingindo apenas as camadas da epiderme. A microdermoabrasão é uma técnica de esfoliação não cirúrgica, não invasiva e passível de controle. Os principais representantes damicrodermoabrasão são os peelings de cristal e diamante. 

O peeling de cristal é um equipamento que gera pressões negativas e positivas simultâneas em que são utilizados microgrânulos de óxido de alumínio jateados pela pressão positiva sobre a pele, provocando erosão nas camadas da epiderme sendo ao mesmo tempo sugados pela pressão negativa. O peeling de diamante é realizado através de uma manopla em forma de caneta com ponteiras diamantadas de granulometrias diferentes que promovem um “lixamento” suave da pele. Neste tipo de peeling só existe a pressão negativa. A pele é suavemente sugada pela manopla e o lixamento é efetuado pelo profissional através do contato da manopla com a pele. 

Existe também o peeling ultrasonico que trabalha combinando uma espátula que realiza a vibração ultra-sônica que permitem penetrar e posteriormente vaporizar o tônico desencrustante. Ocorre emoliência nos poros, as células mortas se desprendem e a pele fica limpa de oleosidade, poluição e restos cosméticos.

Os Peelings Fisícos são indicados para o tratamentos de Melasmas (todos os tipos de manchas), Linhas de Expressões, Flacidez cutânea, Fechamento dos Poros, Cicatrizes e outros, pois ativam a produção de colágeno e elastina e eliminam as células mortas.

A sessão dura em torno de 30 minutos pode ser realizada 2 vezes por semana, dependendo do tratamento indicado.

Peeling de Fenol Tamponado ou Modificado (atenuado)

O Peeling de Fenol modificado é uma verdadeira revolução na estética médica. Este poderoso Peeling não é novo, mas as modificações realizadas o transformaram em uma técnica absolutamente atual.

O Peeling de Fenol vem sendo usado em Peelings desde 1960, sua nova fórmula modificada pelo pesquisador e médico Dr. Kacowics manipulou o fenol, deixando mais seguro para o médico que aplica e para os pacientes que o recebem. Mais que isso, foram desenvolvidos uma série de Peelings, para diversas indicações.

Assim, temos disponíveis desde Peelings muito superficiais, superficiais, médios, profundos, e, também, Peelings corporais. São chamados Alkapeel, Neomaster, Neoplus, BodyPeel, Multipeel.

Peeling de TCA – Blue Peel

O TCA (ácido tricloroacético) permite realizar Peelings Superficiais, médios e profundos. Na concentração de 10 %, promove um Peeling Superficial, na concentração de 10 a 30% um médio e na de 35 a 50 %, promove o Peeling Profundo. Uma variação do Peeling de TCA é o Blue Peel.

O Peeling é um método utilizado para tratamento das alterações da pele. A intenção é acelerar o processo de renovação celular a partir das camadas mais profundas da pele, ao mesmo tempo em que são eliminadas as camadas mais superficiais e envelhecidas. A pele é dinâmica, viva, um órgão em constante renovação. Todos os dias, células novas são produzidas e outras são eliminadas. Mas, com o passar dos anos, diminui a velocidade de renovação destas células. O processo de envelhecimento e a luz solar faz, então, aparecer as temíveis rugas, manchas, flacidez e aspereza .

Uma das dificuldades do Peeling, e que pode levar a complicações, é determinar exatamente a quantidade aplicada e a consequente profundidade atingida com a substância química, de modo que qualquer erro neste cálculo pode acarretar em maus resultados.

Uma nova técnica de Peeling foi descrita como Blue Peel. É um Peeling que usa o ácido tricloroacético (e neste aspecto é igual aos outros) tendo como diferença o fato de que o mesmo ácido é misturado com uma substância azul, que fica bem visível, permitindo, então, saber com maior facilidade a profundidade da ação do medicamento e evitando futuras complicações. O azul do Blue Peel, portanto, é apenas uma sinalização de segurança, que deixa o método mais fácil para o médico e mais seguro para o paciente, chegando a melhores resultados. O Peeling de Blue Peel é aplicado após um preparo da pele com condicionamento facial. Indicado para pele envelhecida, aspereza, rugas finas e pigmentação (manchas) além de acne. O processo é realizado em consultório, sem necessidade de anestesia e dura em torno de meia hora.

A tinta é retirada imediatamente ao final do processo, seguido por um processo de descamação que dura de sete (7) a dez (10) dias, quando os resultados já podem ser observados. O método pode ser usado, também, em outras partes do corpo, como mãos e braços. Os métodos convencionais de Peeling com ácido tricloroacético ou com ácido glicólico, também produzem bons resultados, mas o Blue Peel vem demonstrando uma grande aceitação nos EUA e Europa pela facilidade de manuseio e segurança.

Peeling de Ácido Glicólico

O Ácido Glicólico também permite realizar Peelings Superficiais, médios e profundos. Depende, entretanto, não somente da concentração, mas do tempo de exposição ao agente de Peeling. Concentração de 30 a 50%, promove um Peeling Superficial na concentração de: 50 a 70 %, um médio é, acima de 70%, quando aplicado por um maior tempo, promove um Peeling Profundo. Uma forma de utilizar o Peeling de Ácido Glicólico Superficial é realizar Peelings seriados, com intervalos quinzenais, o que permite excelentes resultados.